Entenda o Marketing Multinível do Mercadão Social

As propostas de marketing multinível são bem recorrentes, geralmente, se espalhando de forma rápida na internet. Atualmente, o Mercadão Social está fazendo bastante barulho, conseguindo vários divulgadores e consumidores. Mas o que é Mercadão Social?

O Mercadão Social funciona como uma empresa de marketing multinível e também como uma distribuidora de produtos de consumo diário. Através do Mercadão Social é possível comprar alimentos com descontos. Também é possível fazer parte da empresa como um associado empreendedor. Pagando uma taxa anual para ter acesso as ferramentas digitais da plataforma e, assim, ampliar a rede de divulgação e lucro.

A empresa já conta com uma rede ampliada, porém, passa pelas mesmas dificuldades e desconfianças que assombram este tipo de prática. E mais: passa também pelos problemas de logística. Afinal de contas, alimentos demandam um tipo de serviço de entrega bastante eficiente.

Como funciona o marketing multinível do Mercadão Social

O Mercadão Social funciona de duas maneiras: é possível participar ativamente do mercado como um consumidor, ou então como um empreendedor, que compartilha a ideia para os outros e lucra. O sistema de multinível é, aparentemente, bem simples: você pode escolher um dos quatro planos:

  • Consumidor Individual
  • Consumidor Família
  • Associado empreendedor
  • Associado empreendedor bronze

Os dois primeiros kits são de consumidores, e neles não há complicações. Os participantes desta modalidade apenas fazem compras pelo Mercadão Social, que promete produtos de alta qualidade e com valor abaixo de qualquer mercado físico. Você pode pagar para ver…

Já o kit de associado é mais focado para quem deseja ser divulgador do marketing multinível do Mercadão Social. Ao indicar uma pessoa, seja consumidor ou divulgador, ganha-se uma quantia em dinheiro. Para se associar nesta modalidade, é preciso fazer um investimento inicial de R$ 360, para ativação anual do cadastro.

Se as pessoas indicadas indicarem novas pessoas (que constituem o “segundo nível” da rede), também haverá lucros. Sempre que alguém da sua rede realiza uma compra no Mercadão, o primeiro investidor também ganha uma comissão. O empreendedor pode ter lucros até o 10º nível da sua rede, seja com pessoas consumidoras ou com outros empreendedores divulgadores indicados por ele.

Atualmente, a empresa trabalha com três tipos de “Bonus” diferente. Estes bônus são a forma de manter a rede funcionando.

  • Bônus de início rápido – Recebido sempre que uma nova pessoa entra na rede por indicação.
  • Bônus de segurança – Recebido de forma mensal. Segunda a empresa, esta é a principal segurança de que a rede vai se manter íntegra por muito tempo.
  • Bônus de consumo – Recebido sempre que alguém da rede consome um produto ou renova a sua assinatura anual.

Como o Mercadão Social ganha dinheiro?

Segundo quem divulga a empresa, o Mercadão Social ganha dinheiro com a venda de seus produtos, e não com a rede do marketing multinível. Isso quer dizer que, ao cortar gastos com propagandas, transporte e lojas no varejo, é possível vender produtos mais baratos e ainda obter lucro. Assim, a empresa paga os divulgadores com parte deste lucro.

A ideia é um mercado que se sustenta com a sua própria rede. Por possuir este tipo de estratégia com consumidores e divulgadores, o Mercadão Social tenta se distanciar das temidas pirâmides, pois é possível interagir com a empresa, mesmo sem ser um “sócio empreendedor”, o que, na teoria, evita que o marketing multinível do Mercadão Social desabe.

Mercadão Social é seguro?

Em todas as apresentações encontradas na internet, em sua grande maioria feitas pelos membros da MMN do Mercadão Social, uma tônica é constante: eles afirmam que a rede possui um derramamento infinito, ou seja, ela pode continuar por anos sem sofrer colapso.

Porém, como qualquer outro sistema de Marketing de Nível, é necessário ter um plano sólido para que isso ocorra, o que não é o caso do Mercadão Social, por enquanto. Até mesmo nas apresentações feitas pela internet, é possível constatar vários investidores reclamando de um ponto em comum: a falta de logística.

Todos os produtos comprados no Mercadão Social são entregues para as pessoas em domicílio. Ou seja, há toda uma operação de logística por trás disso. Uma reclamação constante das pessoas está na demora para entregar os produtos e kits. Isso dificulta a possibilidade de expansão: afinal, como você pode trazer pessoas para a rede, se os produtos não chegam à casa delas?

Tal desvantagem faz com que a possibilidade de expansão do Mercadão se esvaia, podendo impossibilitar a recuperação do investimento feito no primeiro ano.

Outro problema apontado por alguns entendedores do mercado de multinível é que o Mercadão Social trabalha com produtos de fácil acesso. Ou seja, você pode comprar os produtos do Mercadão Social em qualquer mercado normal. E então surge uma pergunta básica: como eu vou comprar feijão e arroz à distância, para levar dias ou até mês para chegar, se eu tenho acesso ao mercadinho quase na porta de minha casa?

Apesar da proposta trazer um preço mais baixo para quem está comprando, eles não diferem muito das tabelas usadas nos atacadões. E nesse quesito outra desvantagem aparece: por trás do divulgado “preço mais em conta dos produtos”, o comprador terá que arcar com os custos de frete. Então, caro investidor interessado, cabe aqui a mesma pergunta anterior: “por que comprar produtos de uma empresa online se eu acho esses mesmos itens ao lado de minha casa?”.

Em resumo, para analistas do mercado multinível, a falta de exclusividade dos produtos, aliado aos problemas de logística, pode desinteressar bastante o interesse.  Outro problema é que a maioria das empresas de mercado multinível ainda sofre com o temor de que tudo se resuma a pirâmide financeira. Casos como o da Telexfree, Webgd e a antiga Fazendas Reunidas Boi Gordo, são lembrados por muitos até hoje.